Usuário

Convidado
Mensagens: 0

Últimos assuntos
» DC Comics - Planeta Diário
Hoje à(s) 02:16 pm por Diego

» Esportes, Marketing e Negócios
Hoje à(s) 10:58 am por ricardo83

» Futebol pelo Brasil
Hoje à(s) 08:47 am por banzé

» Galeria de Arte: Ficção & Fantasia
Hoje à(s) 08:16 am por banzé

» Galeria de Arte (6): Marvel e DC
Hoje à(s) 08:14 am por banzé

» Agenda Esportiva
Hoje à(s) 08:05 am por banzé

» Futebol Europeu: Temporada 2017/2018
Ontem à(s) 09:28 am por banzé

» T.O: Camisas de Futebol
Ontem à(s) 09:23 am por banzé

» Marvel Comics - Clarim Diário
22/11/17, 11:41 am por Diego

» Galeria de Arte: Heróis Bonelli
21/11/17, 03:13 pm por banzé

Parceiros

Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

 » Quadrinhos » Sala da Justiça (Quadrinhos em Geral) » 

O Diário de Dick Grayson

Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 5 de 7]

darkmarcos

101 Re: O Diário de Dick Grayson em 08/02/15, 07:43 pm

avatar
Nível Médio 2
Nível Médio 2

O DIÁRIO DE DICK GRAYSON - Parte 83

- Detective Comics 151 ( Setembro de 1949 )

* "'I.O.U. My Life!'", histórias desenhada por Dick Sprang, artefinalizada por Gene McDonald

Publicada no Brasil pela Ebal na revista Superman n° 27 ("Devo-lhe Minha Vida")


Antes de perseguir a quadrilha de Larry Lazy, a dupla dinâmica arquiva um estranho recorte de jornal onde uma nota dá conta de Ben Kole, que salvou recentemente dois cidadãos importantes de Gotham e, com isso, iniciou uma peculiar coleção: declarações assinadas onde quem é salvo por ele declara que "lhe deve sua vida".

Quando chegam ao cais do porto, Batman e Robin acabam espantando a quadrilha que perseguiam e os heróis se separam para capturar seus integrantes. Pouco depois, quando se reencontram, Robin diz que a quadrilha caiu nas mãos da polícia. Por uma estranha coincidência, Batman acabara de ser salvo por Ben Kole quando caiu em uma armadilha durante a perseguição. Com isso, acabou assinando um dos estranhos recibos. Batman ficou tão grato que não pôde recusar seu pedido. O estranho é que Kole sempre aparecia no momento exato. Qual seria seu plano?

Passam-se dias sem qualquer resposta à pergunta, até que certa manhã um jornal publica um pedido de Kole, pedindo que Batman se encontre com ele na sala egípcia do Museu Municipal. Batman comparece ao encontro para ver o que Kole pretende. No museu, Kole, que se diz falido pede dinheiro em troca dos recibos assinados serem rasgados. Os dois cidadãos se negam a respeitar uma dívida que, afinal, sequer pode ser considerada feita em um documento legal. Kole diz que é um estudioso de egiptologia e descobriu uma forma de prever o futuro. Foi dessa forma que conseguiu estar nos lugares certos para salvá-los. Uma vez que se negam a lhe pagar em dinheiro, ele diz que todos terão as mortes ao qual estavam destinados antes de salvá-los.

No dia seguinte, os jornais anunciam que Homer Davis, um dos cidadãos salvos por Kole, morreu afogado em sua própria casa quando pegava vinho em sua adega e o aquecedor estourou. Ironicamente, ele decidiu ficar em casa naquela noite, pois temia morrer afogado, já que Kole o havia salvado quando caiu de seu barco.

A dupla dinâmica é recebida na casa de Davis por seu mordomo, Jenkins, que os deixa investigar a adega. Robin encontra o manômetro do aquecedor em um canto, observando que a explosão foi mesmo um acidente, já que o ponteiro mostra que parou no máximo. Ao voltarem para a casa, Batman desastradamente derruba o cinzeiro da sala. Enquanto arrumam a bagunça que Batman causou ouvem o rádio onde o noticiário avisa que um perigoso gorila escapou do jardim zoológico. Peter Chaney, que havia sido salvo de um feroz urso por Kole, durante uma caçada, mora próximo ao local. A dupla dinâmica parte rapidamente para tentar salvá-lo da bizarra coincidência.

Quando chegam a casa de Chaney, o gorila já está com ele em suas garras. Batman golpeia a fera... mas escorrega e fica a sua mercê. Robin corre até a lareira e pega um pedaço de madeira em chamas para afastar o gorila. Quando ele se afasta, Batman consegue prendê-lo em um cômodo reservado. Chaney ainda está vivo e descobre que a fera entrou porque o portão estava aberto, apesar de tê-lo trancado anteriormente. A maldição de Kole parecia seguir um caminho estranho. Afinal, ele foi salvo de ser morto por um urso, não um gorila. Mas Batman confirma que um gorila mata apertando sua vítima, da mesma forma que um urso. Diante das mortes misteriosas previstas por Kole e levando-se em conta que é a próxima vítima, Batman tem uma ideia.

No dia seguinte, ele se oferece para um espetáculo. Atravessar o espaço entre dois edifícios equilibrando-se em um fio. Quando parece que vai cair... alcança o outro lado. Na verdade e por segurança, Robin o prendia com um quase invisível fio azul que contrastava com o céu límpido. Mas os dois conseguem ver uma estranha névoa saindo de uma das janelas, jogando um gás que poderia fazer com que Batman perdesse o equilíbrio. Robin escala até a janela e encontra... Kole. Ele confessa que realmente cometeu os crimes, mas, durante sua confissão, usa canetas para formar uma espécie de seta em cima da mesa. Uma seta que aponta para a cortina... onde está escondido Jenkins, o mordomo de Homer Davis.

Apesar de Jenkins estar armado, Batman o consegue golpear, desacordando-o. Mas ainda há mais surpresas. Batman lhe retira a máscara e o mordomo revela ser... o próprio Homer Davis. Batman explica que Davis devia a Chaney uma grande quantia que não podia pagar. Assim, quando Kole lançou sua maldição, Davis achou que podia matar Chaney e lançar as suspeitas sobre Kole. Para tornar as suspeitas fortes, ele precisava matar Batman e a si mesmo também. Todos aqueles que haviam assinado os estranhos recibos de Kole. Batman suspeitou que fosse Davis, pois ele cometeu dois enganos. Um verdadeiro mordomo teria andado à frente dos heróis ao lhe receber em casa. E teria procurado limpara a cinza que Batman atirou de propósito ao chão para testá-lo.

Mais tarde, Batman encontra Kole na chefatura de polícia... Ele confirma que criou toda a história de estudante de egiptologia, pois estava desesperado... e queria impressionar a todos. Não há nenhum poder de prever o futuro. Foi por mero acaso que os salvou. Kole agiu mal... mas não cometeu crime algum. Como desculpas, deixou um recibo com Batman... onde diz que lhe deve a vida.



SEM FILA

* Não importa a época. Não importa a mídia. Definitivamente, é Robin quem tem carteira de motorista que vale nessa dupla.
TUNNEL OF TERROR :

GALERIA:



Jerry Bingham : [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

ÂMAGO NEWS:



Na série Prata da Casa, o site Impulso HQ, vamos conhecer Congo Bill, um aventureiro sendo um tanto... charlatão: O FEITICEIRO ( [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] )

Artigo publicado originalmente no blog Âmago: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


_________________

Visite a Sala de Perigo, a loja oficial do blog Âmago: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ver perfil do usuário

darkmarcos

102 Re: O Diário de Dick Grayson em 15/02/15, 12:22 pm

avatar
Nível Médio 2
Nível Médio 2



O DIÁRIO DE DICK GRAYSON - Parte 84

- Detective Comics 152 ( Outubro de 1949 )

* "The Goblin of Gotham City", histórias desenhada por Bob Kane, artefinalizada por Charles Paris


Publicada no Brasil pela Ebal na revista Superman n° 29 ("Vicky Vale, a fotógrafa")

Revendo fotos que Vicky Vale tirou registrando façanhas de Batman, o herói relembra um caso quando ele e Robin salvaram Joe Bailey, encarregado da construção de uma estrada. Uma explosão havia provocado o desmoronamento e Bailey ia ser atingido. Batman ia passando com Robin pela estrada semi-construída... deitou-se no para-lama do batmóvel e estendeu o braço. As pedras caíam em torno do carro como chuva.

Outra foto mostra Edson Cole. Sua esposa precisava fazer uma operação e ele queria ganhar dinheiro fácil. Procurou, então, um cassino para jogar. Mas descobriu fios embaixo da mesa da roleta. Ameaçando contar para todos, Cole se viu na mira de criminosos... quando apareceram Batman e Robin.

A foto seguinte mostra Martin Tate, que seguiu o caminho do mal, ligando-se a uma quadrilha de ladrões do cais do porto. Apenas compreendeu seu erro quando foi condenado pelos próprios amigos. Na ocasião, Batman e Robin estavam patrulhando o cais.

O editor de Vicky tem a ideia de fazer uma reportagem fotográfica mostrando como estão os três homens salvos por Batman no passado. De fato, cada um deles, mesmo tendo se envolvido com o mundo do crime, acabaram aprendendo a lição e tornando-se cidadãos honestos e prósperos. Porém, quando vão tirar a primeira foto... as luzes se apagam repentinamente. Quando Batman a acende, a chapa da máquina fotográfica foi arrancada. O negativo está perdido. E, estranhamente, os óculos de Cole estão no chão, quebrados. Aparentemente, um dos três homens não quer que a fotografia seja tirada. Mas Batman prefere insistir.

Pela segunda vez se ouve o clique da máquina... e a foto é finalmente tirada. Batman desconfia que no segundo negativo não aparecesse uma coisa que existia no primeiro. Robin lembra que a posição em que estavam é a mesma nas duas tentativas. Mas Batman lembra-se que na primeira fotografia um deles usava uma luva... a qual faltava um dedo. O que prova que o dono da luva é o criminoso conhecido como O Duende, um perigoso assaltante que está à solta. Batman já sabe de quem se trata.

Momentos depois, Batman sai da sala escura com o negativo ainda molhado. Todos os homens tinham três luvas... mas somente um usava a luva que faltava um dos dedos... a luva do Duende, a identidade secreta de um dos três homens ajudados pelo Batman no passado. De repente, da varanda, o Duende aparece para verificar se havia destruído o primeiro negativo... Assim que vê o novo negativo na mão de Batman, trata de atear-lhe fogo. Mas o criminoso cometeu um erro, pois imagina que aquele é o primeiro negativo. Enquanto Batman salta para capturar o vilão, Robin tenta salvar o negativo. Batman é atingido por um tiro e o próximo disparo, destinado a Robin, falha. Mas o menino prodígio é atingido pela arma e cai desacordado.

Quando Robin volta a si, está sendo auxiliado pela polícia. Vicky foi sequestrada pelo Duende. Batman está gravemente ferido. Batman, o único que sabe a identidade do Duende, está em coma. Robin sabe que seu parceiro não permitiria que ele abandonasse Vicky e ele procura por uma pista, apesar da principal, o negativo, estar queimado. Robin pega a luva que Batman arrancou do Duende antes de cair. Ele a leva para o laboratório e estuda a poeira dos dedos que se transferiu para o seu interior. Descobre que são partículas de ouro e prata. Um dos três homens suspeitos, Martin Tate, hoje tem uma joalheria. Robin pretende visitá-lo.

Robin chega sorrateiramente até a joalheria e encontra Tate prendendo Vicky. Porém, o criminoso, tinha um alarme secreto que denuncia a presença do menino prodígio. Abrindo um alçapão no telhado, Tate o faz cair em seu cativeiro. Em seguida, Tate amarra Robin e o joga, com Vicky para dentro de seu cofre, trancando-os. Porém, pouco tempo depois o próprio Tate explode a fechadura do cofre, utilizando uma técnica que desenvolveu como Duende: colocando explosivo por um orifício feito na porta e, com o dedo de uma luva prendendo o explosivo nesse orifício para que ficasse firme. O motivo de o criminoso abrir a porta se revela quando ele revista a bolsa de Vicky. Batman, que chegou ao local, mas ainda estando debilitado, diz ao criminoso que o primeiro negativo, na verdade, está dentro da bolsa. Apesar de ele deixá-los para morrer, o fato de a polícia achar os corpos e o negativo poderia denunciá-lo. Mas, para sua surpresa... Batman mentiu... tempo suficiente para que a polícia chegasse e o prendesse no flagra.

Tate usava por acaso as luvas que tinham servido num assalto. Só descobriu isso depois que Vicky tirou a primeira fotografia... por isso a destruiu, com receio de uma possível pista. Sua joalheria era uma farsa. Na verdade, ele transformava as joias roubadas para vendê-las. Batman se sente um pouco culpado por Tate, que ele salvou no passado, ter se desviado do bom caminho. Mas um policial informa que o psicólogo da prisão descobriu que ele tem uma dupla personalidade, com predominância da parte má. Batman, mais tranquilo, descansa a cabeça na poltrona enquanto Vicky lhe faz um agrado.

Mais tarde, em casa, Bruce e Dick se veem em uma enrascada. Vicky acaba de chegar. Se ela vir Bruce com uma atadura na cabeça, assim como Batman, poderá descobrir sua identidade secreta. A dupla age rápido e quando ela entra... Bruce está todo coberto e com uma toalha quente na cabeça, pois diz estar resfriado. Mas Bruce e Dick sorriem quando ela, compadecida, lhe faz um agrado.



A+:

* O título Detective Comics tinha como carro chefe as histórias do Batman, mas também apresentavam outros personagens com histórias próprias em suas páginas. Essas outras histórias eram praticamente todas publicadas pela Ebal... só que em edições diferentes. Ou seja, se uma Detective Comics originalmente publicava três histórias em um mês, a Ebal publicava as três, cada uma em um mês consecutivo. Com isso, havia uma pequena confusão no que diz respeito à publicação das capas (apesar de que já era confusão suficiente trazer uma capa com Batman em uma revista chamada... Superman). Essa edição, por exemplo, trazia a capa da edição que, originalmente, pertencia à revista que publicou a história do mês anterior pela Ebal.

Essa salada toda ocasionou uma curiosa situação aqui. A edição anterior apresentava a dupla dinâmica sendo auxiliada por Vicky Vale. Só que... ela não aparecia em nenhuma página da história. Já na edição seguinte, a qual a Ebal publicou sob a capa com Vicky Vale, ou seja, a anterior, mostrava, sim, a moça participando da história. Enfim, não que tenha sido intencional, mas a Ebal acabou corrigindo um possível erro editorial dos americanos.

MESTRE DE OBRA



* Bill Finger, o escritor criador de Batman, deixou a parceria com Bob Kane para se dedicar a outros títulos da DC Comics. De início, uma importante colaboração foi incorporar a kriptonita aos quadrinhos do Superman. O mineral, que enfraquece o herói, até então aparecia apenas nos programas de rádio do personagem.

SEM FILA

Corra, Robin, corra... e vê se não pára na curva:

ROBIN'S WILD RIDE :

ÂMAGO NEWS:



* No site do Dínamo Studio, volto a falar sobre um assunto que já tratamos aqui no blog. É uma volta ao passado... ou um passeio ao futuro? É a estreia da série de artigos que irá contar a história da Legião dos Super-Heróis: LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS: HISTÓRIAS DE UM PASSADO QUE AINDA VIRÁ - Parte 1: Aqui começa o futuro (pois o futuro tem que começar de algum ponto) : [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

GALERIA:



Sheldon Moldoff : [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Artigo publicado originalmente no blog Âmago: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


_________________

Visite a Sala de Perigo, a loja oficial do blog Âmago: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ver perfil do usuário

darkmarcos

103 Re: O Diário de Dick Grayson em 01/03/15, 07:48 am

avatar
Nível Médio 2
Nível Médio 2



O DIÁRIO DE DICK GRAYSON - Parte 85

- Detective Comics 153 ( Novembro de 1949 )

* "The Flying Batman", história escrita por Phil Lasorda, desenhada por Dick Sprang, artefinalizada por Charles Paris


Publicada no Brasil pela Ebal na revista Superman n° 33 ("Batman, o Vingador Alado")

Bruce Wayne e Dick Grayson estão apreciando um programa de tevê quando é anunciado que o criminoso Slit Danton acaba de fugir da prisão jurando matar aquele que o prendeu: Batman. Robin se preocupa, pois Slit é perigoso. Mas Batman não o teme, pois está acostumado a ser odiado pelos criminosos. Pouco depois, Batman e Robin dão uma batida em todos os antros da cidade... mas não encontram nem sinal do Slit.

No dia seguinte, decidem assistir uma conferência sobre morcegos, com a palestra do Professor Carl Wilde, famosa autoridade sobre o assunto. Afinal, uma conferência sobre morcegos não deve ser perdida pelo homem-morcego. No interior do salão, o professor chama a atenção para suas observações:

"Ao contrário do que diz o povo, os morcegos não são cegos, não procuram as pessoas e não são perigosos. Na verdade, os morcegos são úteis ao homem, porque devoram moscas e outros insetos. E embora não saibam, os morcegos serviram para o estudo do radar. Ao voar, o morcego produz um ruído que não é percebido pelo ouvido humano. O eco reflete nos objetos em que toca e avisa o morcego dos obstáculos que existe no escuro. Eis as ondas de alta frequência que o morcego emite. O morcego é o único animal capaz de um voo prolongado. Acho que não existe outro qualquer animal capaz de voar como ele. De fato, após inúmeras experiências, construí "asas de morcego" para ajudar o homem a voar sozinho."

Diante o espanto de todos pela invenção do professor, Dick percebe uma cara familiar na plateia: Slit Danton. Provavelmente, o criminoso sabia que Batman não perderia uma conferência sobre morcegos. Não querendo desapontá-lo, a dupla dinâmica troca de roupas e surge sobre a plateia. Porém, Slit saca uma pistola e dá dois tiros contra Batman, que erram o alvo... mas uma das balas atinge a corda pela qual o herói desce. Batman fica entontecido por alguns instantes devido à queda... mas ao recuperar os sentidos... descobre que Slit fugiu. O professor nota que o herói teria capturado o criminoso se uma bala não atingisse a corda e este risco estaria eliminado se ele pudesse voar... com suas asas de morcego. Apesar de Robin preferi que Batman não se arrisque, o herói quer experimentar.

Mais tarde, numa colina da cidade, Batman arranca sua capa e prende as asas do professor Carl, enquanto Robin observa apreensivo. O professor o orienta a fazer movimento com os músculos das costas, agitando as asas automaticamente. Abrindo as asas, Batman hesita por um instante... e depois se lança ao espaço. As asas respondem aos movimentos de Batman, e ele fica planando sobre a Terra, como um verdadeiro homem-morcego. Robin, agora eufórico, até acharia uma boa ideia ter asas também, mas o professor ainda teria que fabricar outra.

Na noite seguinte, uma figura luminosa surge no céu... O batsinal! É a oportunidade que Bruce esperava para usar as asas. Como não poderá ser seguido por Robin, ele segue sozinho. Ao voltar, Bruce tem o corpo marcado por bicadas de condor, que o criminoso, já sabendo de suas novas asas pelos noticiários, lançou contra ele. Batman conseguiu prender todas as aves, mas Slit conseguiu escapar.

Na noite seguinte, ao se dirigir para um clube onde fará uma conferência sobre delinquência juvenil, Robin é capturado por Slit. Quando Batman chega para resgatá-lo, o menino prodígio está dentro de um celeiro, amarrado a uma bomba relógio que tem cinco minutos para explodir. Para libertá-lo, Batman terá que atravessar fios ligados a bomba que podem acioná-la. Ironizando sobre o herói ser um verdadeiro morcego, Slit apaga as luzes do celeiro. E se o herói usar uma lanterna, células fotoelétricas farão explodir a bomba ao primeiro sinal de luz. Batman tem apenas cinco minutos.

No interior do celeiro às escuras, Batman está perto da morte, mas sorri... Slit não sabe que ele está preparado para a situação. Ele utiliza o radar que o professor Wilde preparou para ele, como o aparelho pessoal de uso: um radar portátil disfarçado em suas roupas. O aparelho envia ruídos supersônicos aos fios da armadilha. Ao se refletirem nos fios, os sons voltam e são percebidos por detectores sensíveis, colocados nas orelhas de sua máscara. Assim o Batman voador evita os fios como se fosse um morcego de verdade. Dessa forma, a dupla consegue escapar antes que a bomba exploda.

Os jornais da manhã seguinte trazem a notícia de que a quadrilha de Slit assaltou um museu militar. Holofotes, detectores de som e canhões antiaéreos estavam entre os objetos roubados. Objetos necessários à defesa antiaérea... para que Slit derrube o Batman voador.

Ao anoitecer, o Comissário Gordon diz ter recebido um telefonema desafiando Batman e que esse telefonema foi identificado como vindo do armazém 13 do cais do porto. Batman não quer arriscar a vida de policiais e decide ir sozinho. Utilizando um boneco, que é alvejado assim que chega ao local, Batman consegue enganar Slit, o captura e joga-o na água. Quando o bandido atinge a água, Batman sente os respingos em seu rosto que, na verdade...

É o professor Carl jogando água em seu rosto para acordá-lo, após cair da corda partida pelo tiro de Slit. O herói acorda confuso. Slit está em um canto, desacordado por Robin. O menino prodígio ficou furioso por Slit ter atirado em seu parceiro e o acertou imediatamente no queixo. Enquanto isso, Batman estava inconsciente. Suas asas, seu voo... tudo não passou de uma espécie de sonho. As asas criadas pelo professor Carl ainda não foram aperfeiçoadas. Quem sabe... algum dia... talvez...



A+:

* Apesar de Robin ter ficado pra trás no delírio de Batman, foi ele quem resolveu a situação no final e ainda prendeu o bandido. Apesar do paradoxo, inconscientemente Batman ainda vê Robin como alguém que pode e vai estar sempre em perigo.

SEM FILA

Lutando lá onde Robin perdeu as botas!

* Batman Trapped! ( [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] )

ÂMAGO NEWS:



Do tempo em que pastores alemães eram superastros: CÃO MORCEGO, ARTISTA DE CINEMA : [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

GALERIA



Eric Canete : [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Artigo publicado originalmente no blog Âmago: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


_________________

Visite a Sala de Perigo, a loja oficial do blog Âmago: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ver perfil do usuário

banzé

104 Re: O Diário de Dick Grayson em 03/03/15, 09:52 am

avatar

Esse material da Legião é algo novo Dark ?

Poste aqui no fórum sobre a Legião, é um dos meus grupos de heróis preferidos. Very Happy

Ver perfil do usuário http://fumetteiros.omeuforum.net

darkmarcos

105 Re: O Diário de Dick Grayson em 04/03/15, 01:12 am

avatar
Nível Médio 2
Nível Médio 2
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] escreveu:Esse material da Legião é algo novo Dark ?

Poste aqui no fórum sobre a Legião, é um dos meus grupos de heróis preferidos. Very Happy

Esse material da Legião eu já havia publicado no formato de Diário. Para o site do Dínamo, estou editando parte dele para a série de matérias.

Apesar de ainda ter esse material, era uma espécie de protótipo do que seria os Diários. Futuramente, irei dar uma nova revisada nele e o disponibilizarei por aqui também.

Acompanhe pelo Dínamo e sua sede de Legião também será saciada.

Ver perfil do usuário

darkmarcos

106 Re: O Diário de Dick Grayson em 09/03/15, 10:55 pm

avatar
Nível Médio 2
Nível Médio 2



O DIÁRIO DE DICK GRAYSON - Parte 86

- Detective Comics 154 ( Dezembro de 1949 )

* "Underground Railroad of Crime", desenhada por Bob Kane, artefinalizada por Charles Paris

Publicada no Brasil pela Ebal na revista Superman n° 36 ("A Estrada Subterrânea")


Eis uma história em que Robin prova como serve de apoio tático para as ações de Batman. Isso é mostrado em momentos que pouco se sabe como o menino prodígio está agindo para salvar seu parceiro, ao mesmo tempo em que segue perfeitamente para que o plano elaborado tenha sucesso.

Detentos da Penitenciária Estadual estão usando um velho recurso utilizado no passado: a estrada subterrânea, rota de fuga onde os escravos eram transportados para Estados onde já havia sido decretado o fim da escravatura. Obviamente essa rota é secreta e Batman terá que se infiltrar entre os detentos para descobrir por onde ela passa. Para tanto, utiliza seus dons de disfarce e fica igualzinho a Jim Miler, um criminoso que está sendo transportado para a penitenciária e que esconde o fruto de seus roubos fora dela. Essa pequena fortuna serve de moeda de troca para quem está auxiliando nas fugas.

Para não levantar suspeitas, Batman sequer leva seu cinto comunicador para dentro da prisão. Porém, utiliza uma forma muito peculiar de se comunicar com Robin (que aguarda por ordens nas imediações): manipula a válvula de um tanque na lavanderia para formar sinais de vapor. Quando Robin vê os primeiros sinais desse tipo, Batman o está avisando para seguir a namorada de Jim Miler, que o visitou na prisão.

Após seguir a namorada de Jim, Robin volta e descobre que a fuga subterrânea aconteceu e acabaram levando Batman pensando que ele é o criminoso. A rota leva até um conjunto de túneis e Robin é emboscado pela gangue. É o fim do disfarce de Batman, que tem que defender seu parceiro de ser massacrado. Os bandidos fogem e a dupla dinâmica tem uma surpresa: Mary Holmes, a namorada de Jim, acabou seguindo o próprio Robin e entregando o dinheiro roubado para os bandidos. Fez isso, pois já desconfiava de Batman disfarçado, mas não queria que ele fosse morto, pois acredita que o herói pode ajudar na redução da pena do namorado.

Batman e Robin seguem por túneis diferentes para tentar localizar o covil dos ladrões. Ironicamente, Robin encontra um local onde os morcegos estão agitados, indicando que alguém os deve ter perturbado. De fato, logo encontra um alçapão que o leva até uma fábrica abandonada. Descobre ainda que os fugitivos estão no terraço do edifício e são apanhados por um helicóptero disfarçado como se fosse dos correios. Sorrateiramente, Robin avisa Batman da rota dos bandidos.

Quando Batman chega até o local de fuga, Robin está caído, pois é atingido assim que o helicóptero levanta voo. Ainda assim, o herói consegue laçar o helicóptero e subir a bordo. Subjugando o piloto, Batman acaba levando-os de volta para o início da rota: a penitenciária.

O verdadeiro Jim Miler chega à penitenciária e Batman o faz ouvir como sua namorada ajudou na intenção de reduzir sua pena. O criminoso decide se endireitar assim que estiver em liberdade.

Apesar de agir sozinho e dar o devido apoio a seu parceiro, Robin se sente culpado por ter chego de forma errada nos túneis, obrigando que Batman abandonasse seu disfarce. Além do que, acabou ele sendo seguido por Mary Holmes, sendo que ele deveria tê-la seguido (ou, pelo menos, se mantido discreto o suficiente para não ser seguido, oras).

Mas há de ser dar um desconto ao menino prodígio pelas boas intenções (creio que um quesito mínimo para que seja aceito como parceiro de herói...). Além de surpreendentemente sobreviver quando atingido pela hélice do helicóptero quando este foi ligado. Por um erro ou outro, esse deve ter sido um “pedala” mais do que suficiente.



MESTRE DE OBRA



* Em 1949, o desenhista Win Mortimer substituiu Wayne Boring nas tiras de jornais com aventuras do Superman.

SEM FILA

* Na aula de como recuperar fotos queimadas.

Robin Rescues Batman!



ÂMAGO NEWS:



E que tal um novo Diário? Calma! O Diário de Dick Grayson ainda continuará sem interrupções. Ainda assim, acompanhe a trajetória de outro importante herói... de outro universo... e de outro site. Sim! No site Cozinha do Inferno, dedicado ao Demolidor, tem início... O Diário de Matt Murdock, como um novo capítulo todas as terças e quintas.

O Diário de Matt Murdock – Parte 1 – A Origem do Demolidor ( [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] )

GALERIA



Marshall Rogers

Artigo publicado originalmente no blog Âmago: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


_________________

Visite a Sala de Perigo, a loja oficial do blog Âmago: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ver perfil do usuário

banzé

107 Re: O Diário de Dick Grayson em 10/03/15, 09:52 am

avatar

Uau, o Diário do Demolidor ??? Está eu não esperava, ansioso pelo material, só espero vê-lo por aqui no fumetteiros em breve. Babando

Ver perfil do usuário http://fumetteiros.omeuforum.net

darkmarcos

108 Re: O Diário de Dick Grayson em 12/03/15, 01:59 am

avatar
Nível Médio 2
Nível Médio 2
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] escreveu:Uau, o Diário do Demolidor ??? Está eu não esperava, ansioso pelo material, só espero vê-lo por aqui no fumetteiros em breve. Babando

Os responsáveis pelo site Cozinha do Inferno são integrantes do site Aracnofã, sobre o Homem-Aranha. Ou seja, visite que o trabalho deles é muito bom!

Ver perfil do usuário

banzé

109 Re: O Diário de Dick Grayson em 12/03/15, 09:57 am

avatar

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] escreveu:
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] escreveu:Uau, o Diário do Demolidor ??? Está eu não esperava, ansioso pelo material, só espero vê-lo por aqui no fumetteiros em breve. Babando

Os responsáveis pelo site Cozinha do Inferno são integrantes do site Aracnofã, sobre o Homem-Aranha. Ou seja, visite que o trabalho deles é muito bom!


Valeu Dark, mas tenho mais interesse pelo Demolidor. Você fará toda semana esse diário, ou 15 em 15 dias ??? Sem entender 2

Ver perfil do usuário http://fumetteiros.omeuforum.net

darkmarcos

110 Re: O Diário de Dick Grayson em 13/03/15, 12:27 am

avatar
Nível Médio 2
Nível Médio 2
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] escreveu:
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] escreveu:
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] escreveu:Uau, o Diário do Demolidor ??? Está eu não esperava, ansioso pelo material, só espero vê-lo por aqui no fumetteiros em breve. Babando

Os responsáveis pelo site Cozinha do Inferno são integrantes do site Aracnofã, sobre o Homem-Aranha. Ou seja, visite que o trabalho deles é muito bom!


Valeu Dark, mas tenho mais interesse pelo Demolidor. Você fará toda semana esse diário, ou 15 em 15 dias ??? Sem entender 2

Será um novo capítulo toda terça e quinta.

Ver perfil do usuário

banzé

111 Re: O Diário de Dick Grayson em 13/03/15, 08:59 am

avatar

Vou prestigiar então, e quando puder ou quiser, crie um tópico sobre o Demolidor por aqui, com certeza será um dos mais visitados. Smile

Ver perfil do usuário http://fumetteiros.omeuforum.net

darkmarcos

112 Re: O Diário de Dick Grayson em 15/03/15, 11:35 pm

avatar
Nível Médio 2
Nível Médio 2

O DIÁRIO DE DICK GRAYSON - Parte 87

- Detective Comics 158 ( Abril de 1950 )

* "The Thousand and One Trophies of Batman", escrita por Edmond Hamilton, desenhada por Bob Kane, artefinalizada por Charles Paris

Publicada no Brasil pela Ebal na revista Batman 70 Anos n° 2 ("Os Mil e Um Troféus de Batman")


Já há um tempo que a batcaverna vem se tornando uma espécie de “lixão do Batman” tamanha a quantidade de troféus que a dupla dinâmica traz de suas aventuras. Qualquer pedaço ou peça que lembre o crime que resolveram vai parar em um lugar de destaque em sua base e, geralmente, sempre tem uma história por traz dela. É tanta sucata estocada que nessa história é revelado que já há mil desses troféus espalhados por lá. Obviamente o personagem não passou por mil histórias até então, mas muitas dessas peças servem até como retcon, onde Batman relembra aventuras que nunca foram publicadas.

No meio de tanto treco, é difícil precisar qual a peça é a mais bizarra entre todas. Mas, com certeza, uma forte candidata é a peça de número 1001, que surgiu nessa história.

Após admirarem algumas dessas peças (que vão de miniaturas até peças do tamanho de carros alegóricos), a dupla dinâmica é convocada pelo Comissário Gordon para interceptar um criminoso que está contrabandeando joias dentro de supostas peças egípcias. Descoberto o golpe, o criminoso tenta fugir pulando no mar e fingindo que se afogou. Sem que ninguém perceba, ele se esconde dentro de um sarcófago, uma de suas próprias peças, aliás. E adivinhem o que os heróis levam para a batcaverna como troféu! O próprio sarcófago, sem saber que o criminoso está dentro dele.

O vilão é trancado dentro da sala de troféus, mas vê neles uma forma de eliminar a dupla dinâmica, já que muitas peças ali podem ser usadas como armas. De fato, assim que percebem que há um invasor em seu esconderijo, os heróis vasculham o local e são atacados por vários de seus troféus. Por outro lado, utilizam alguns deles como forma de contra ataque, causando uma verdadeira guerra dos troféus.

Desesperado para não ser capturado, o criminoso lança uma granada e se protege dentro do sarcófago que o levou. Só que a força da explosão acaba lacrando sua proteção de tal forma... que ele morre sufocado. E mais bizarro do que isso é o fato de que os heróis, após retirarem o corpo do vilão morto... ficam com o sarcófago como o 1001° troféu de suas aventuras.

Após a bisonha aventura, notamos que a quantidade de troféus é tão grande que nem mesmo Robin sabe a origem de todas elas.

A situação aqui apresentada é tão macabra que dá a impressão que o escritor Edmond Hamilton possivelmente deixaria o vilão morto dentro do sarcófago lacrado como um tétrico novo troféu. Essa impressão se tem quando é mostrado, de forma um tanto repentina, a cena em que os heróis conseguem abrir o sarcófago e descobrem que seu inimigo morreu.

É de se questionar se a arte dessa edição realmente é de Bob Kane, uma vez que muito lembra os traços angulosos de Dick Sprang.



SEM FILA

CO² para vocês dois, ó!

Target Robin!:



ÂMAGO NEWS



Superboy como inspiração do Futuro, na segunda parte da série de artigos sobre a Legião dos Super-Heróis:

Arquétipos de Aço : [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

GALERIA



Mike Zeck : [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Artigo publicado originalmente no blog Âmago: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Ver perfil do usuário

darkmarcos

113 Re: O Diário de Dick Grayson em 05/04/15, 03:56 pm

avatar
Nível Médio 2
Nível Médio 2

O DIÁRIO DE DICK GRAYSON - Parte 88

- Detective Comics 162 ( Agosto de 1950 )

* "The Law Of The Iron Road", história desenhada por Lew Schwartz, artefinalizada por Charles Paris

Publicada no Brasil pela Ebal na revista Batman n° 8 ("Heróis da Estrada de Ferro")


Há histórias em que o Robin está ali apenas para observar. Quase sem dar um chute ou soco sequer. Mas essa passividade está longe de ser uma inutilidade, já que o parceiro está aprendendo com o melhor professor que ele poderia ter. Isso acontece nesta história, onde o menino prodígio aprende tudo sobre o ofício dos policiais de estrada de ferro. Como pano de fundo, o trem em que viajam leva o chefe de quadrilha Duds Decker, que faz ameaças avisando que seus homens irão resgatá-lo antes que chegue à penitenciária.

A primeira lição que Dick aprende é sobre a segurança feita nas paradas que os trens fazem para carregamento de água. Nesses locais, vagabundos (palavras do Batman) aproveitam para embarcar clandestinamente nos vagões de carga. De fato, há um grupo de homens prestes a embarcar... mas estão apenas disfarçados de vagabundos. São homens de Decker, que a dupla dinâmica trata de colocar para fora, ajudando o policial Wilson. Como lição extra, na vistoria de outros vagões, encontram um garoto que fugiu de casa por medo de ser repreendido devido a suas notas baixas. Quanto a esse problema, os heróis assistem ao policial dar conselhos ao garoto, convencendo-o a voltar para casa.

Batman localiza outro capanga de Decker, disfarçado de condutor. Conseguiu identificá-lo, pois, quando uma passageira lhe perguntou as horas, ele viu seu relógio de pulso. E condutores andam apenas com relógios de bolso. A perseguição leva Batman e o bandido até o teto do vagão, onde o herói acaba derrotando-o.

A dupla dinâmica é obrigada a desembarcar para cuidar de um leão que escapou de outro trem, locado por um circo. Ao retornarem... Decker foi levado, juntamente com o detetive que o mantinha algemado. Apesar de levemente ferido, Wilson conta que conseguiu atingir o pneu do carro dos bandidos. Eles não podem ter ido muito longe.

O trio encontra a quadrilha em um pátio de trens. É domingo e os funcionários não estão por lá. Batman e Robin escondem-se no depósito de cinzas de uma locomotiva. Mas eles mantêm o detetive sob a mira de uma arma. Os bandidos sabem que Wilson está escondido e Batman diz que o chamará com um assobio. Acontece que o assobio, imitando uma locomotiva, também é uma gíria entre os policiais de estrada de ferro, inventado por sinaleiros para se avisar que a retaguarda do trem precisa ser protegida. Com isso, os bandidos são surpreendidos ao esperarem Wilson entrar pela frente... e ele aparecer atirando pelos fundos do galpão.

Decker é recapturado, a quadrilha é presa, o detetive é salvo e Robin aprendeu um pouco mais sobre o mundo dentro da lei.



SEM FILA

Like a boss é entrar na sala do comissário de polícia e, desrespeitosamente, já ir sentando NA mesa dele. Nénão, Dick Grayson?

Batman and Robin in The Fatal Blast



GALERIA

Scott James

ÂMAGO NEWS

Demolidor contra um vilão que ainda ia ser alçado como grande inimigo do Homem-Aranha:

O DIÁRIO DE MATT MURDOCK – Parte 2
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Artigo publicado originalmente no blog Âmago: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Ver perfil do usuário

darkmarcos

114 Re: O Diário de Dick Grayson em 11/04/15, 09:13 pm

avatar
Nível Médio 2
Nível Médio 2

O DIÁRIO DE DICK GRAYSON - Parte 89

- Detective Comics 165 ( Novembro de 1950 )

* "The Strange Costumes of Batman", história escrita por Edmond Hamilton, desenhada por Dick Sprang, artefinalizada por Charles Paris

Publicada no Brasil pela Ebal na revista Batman (em formatinho) n° 6 ("Os Estranhos Uniformes de Batman")


Bruce e Dick inspecionam os equipamentos na batcaverna e acabam na sala de uniformes, onde várias versões do uniforme de Batman se encontram. Entre os modelos estão uma versão branca, que utilizaram como camuflagem em um caso no Polo Norte; um uniforme dourado quando enfrentaram um homem que tinha o toque de Midas; um uniforme de celofane, que Batman escondeu no salto de sua bota para entrar em uma prisão como Bruce Wayne; um uniforme luminoso que fez um bandido supersticioso se render; um uniforme espacial, um aéreo, um submarino...

Mas entre os vários uniformes naquela sala, apenas um não havia sido usado. Um uniforme aparentemente igual ao que o herói utiliza, exceto por trazer a imagem de um pássaro no lugar do morcego em seu peito. Este uniforme nunca havia sido usado... e Batman prefere nunca usá-lo. Dick compreende, pois sabe que esse uniforme é para a pior das emergências.

Logo depois, o batsinal é acionado. Há um incêndio em um edifício de Gotham e tudo indica que é criminoso. As portas de emergência não abrem e Batman escala o prédio pelo lado de fora. De fato, há criminosos com roupas especiais no topo do edifício e graças ao uniforme de asbesto, o herói consegue enfrentá-los. Para salvar quem ainda está preso no local, Batman acaba deixando-os fugir. Batman sabe que foi algo muito bem planejado e que não estão diante de um crime comum.

Após pesquisarem em seus arquivos, a dupla dinâmica encontra o nome do químico e físico Doutor Robert Darcy. Dias depois, ao assistirem uma transmissão da festa do milionário Reggie Layton, os heróis identificam o criminoso em um helicóptero logo atrás do dirigível onde ocorrerá o evento. Batman consegue deter os bandidos, que tentavam assaltar o dirigível em pleno ar, mas é derrubado assim que se agarra no helicóptero deles. Graças a seu uniforme com asas embutidas, consegue escapar da queda fatal.

No crime seguinte, os bandidos criam um nevoeiro artificial para encalhar um navio que leva ouro, roubando toda sua carga. Após investigar a localização do esconderijo do vilão, Batman tenta segui-lo, mas é gravemente ferido. O auxílio médico chega e salva Batman, mas ele não poderá se mover por uma semana. É quando Robin admite que o temido uniforme que nunca foi utilizado deve entrar em ação. Batman reluta com essa decisão, mas Robin o convence de que não há outra forma.

No dia seguinte, a gangue de Darcy utiliza um gás venenoso para assaltar bancos. São surpreendidos com a presença de Batman, que parece ter se recuperado do último ataque. A surpresa faz com que os planos de Darcy vão por água abaixo e ele acaba sendo encurralado e preso.

Ao retornar para a batcaverna, "Batman" vê Batman ainda na cama. O uniforme temido é modelado em espuma de borracha e adaptado ao corpo de Robin. Também é equipado com um respiradouro, que poupou Robin do gás venenoso. Por isso o misterioso uniforme ostenta o símbolo de um pássaro negro de peito vermelho e não um morcego. Ele foi feito especialmente para Robin substituir Batman... e o símbolo de Robin é um tordo. Mas Robin não precisará continuar se passando por Batman. Quando o herói estiver curado, continuará sendo o primeiro e único Batman.



MESTRES DE OBRA


* Em 1950, o desenhista Dick Sprang carinhosamente incrementou o batmóvel para um visual. O "nariz" do novo veículo, adaptado para cortar como navalha, assemelhava-se a um Studebaker, porém o formato mesmo era de um Chrysler.

SEM FILA

Robin encontra o vilão... só que não...

ROBIN MEETS THE WIZARD!



GALERIA


Dick Giordano

ÂMAGO NEWS



A volta do Homem-Aranha para a Marvel Studios - ao menos, parcial, completamente inserido no MCU. E com isso, tudo muda! Da programação dos filmes já anunciados às infinitas possibilidades que surgem a partir de agora. Mas para entender mais profundamente tudo isso vamos precisar voltar alguns anos no tempo... quando surgiu a Marvel Studios.

Completamente extasiados com essa novidade, o Coveiro, Paulo Artur e Marcos Dark convocaram alguns amigos para discutir e especular sobre o futuro tão promissor do Cabeça de Teia na Casa das Ideias Cinematográficas. Assim, Rodrigo Monio e Dante do Aracnofã, juntamente com Luis Alberto do ComicPod do TerraZero, quebram as barreiras da realidade da blogosfera para gravar esse programa de crossover triplo. Nossa discussão vai desde a década de oitenta, quando os direitos cinematográficos do Homem-Aranha estavam ainda na Cannon Films e seguimos até o momento crítico do hackeamento da Sony que expôs ao mundo todos os planos obscuros relacionados a Peter Parker.

Quem você preferia que interpretasse o Peter Parker, Chuck Norris ou Leonardo di Caprio? Porque a pessoa de Avi Arad é considerada hoje a versão do Mephisto nos cinemas? O que estaria realmente por trás dos anúncios da Sony de tantos filmes relacionados ao universo expadido do Homem-Aranha? Como Harry Osborn ajudou na volta do Homem-Aranha pra Marvel? Todas essas questões e outras mais são colocadas na mesa neste marcante debate!

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Artigo publicado originalmente no blog Âmago: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Ver perfil do usuário

darkmarcos

115 Re: O Diário de Dick Grayson em 14/04/15, 02:35 am

avatar
Nível Médio 2
Nível Médio 2

O DIÁRIO DE DICK GRAYSON - Parte 90

- Star Spangled Comics 111 ( Dezembro de 1950 )

* "Dick Grayson Detective", história escrita por David Vern, desenhada por Jim Mooney

Publicada no Brasil pela Ebal na revista Batman n° 65 ("Dick Grayson, o Detetive")


O sucesso de Robin fez com que o herói tivesse aventuras próprias, independente de Batman, publicadas na revista Star Spangled Comics. Pouco divulgadas no Brasil (talvez pelos editores não acreditarem no apelo solo do personagem e sim na dupla dinâmica), essas aventuras eram publicadas na revista desde 1947. Nesta aventura, por exemplo, Dick Grayson passa por uma constrangedora situação, mais se assemelhando a uma comédia de erros.

No colégio onde Dick Grayson estuda, é aplicado uma espécie de teste vocacional. Assim que terminam, sua colega Mary fica decepcionada, pois descobre que não tem nenhuma vocação para ser repórter, algo que ela ambicionava muito. Por outro lado, Dick Grayson se decepciona justamente pelo teste mostrar o óbvio: ele tem vocação para ser um grande detetive. O que ninguém sabe é que sua capacidade de dedução vem justamente do fato de ele ter sido treinado pelo Batman, segredo este que pode ser revelado graças ao teste. Para piorar a situação, Dick é apresentado ao detetive Dave Wilson, que poderá aproveitar as capacidades do rapaz.

Enquanto isso surge um novo perigo em Gotham, Baxter Perneta, bandido que traz diversas armas incrementando sua perna de pau, está à solta. E é justamente esse caso que o detetive Wilson está investigando. Dick se esforça ao máximo para deixar impressões absurdas sobre o caso e assim, ser desacreditado perante seu novo parceiro. Mas mal consegue vestir-se como Robin, para continuar a investigação, e vê seus planos irem por água abaixo.

Na primeira tentativa de sabotar sua própria carreira, Dick simplesmente chuta que o Perneta estará na praia de Gotham. O detetive acha um absurdo o jovem simplesmente deduzir isso, mas resolve seguir a dica. E qual não é a surpresa de Grayson quando o Perneta, de fato, decide assaltar uma joalheria próximo a praia. Na segunda tentativa diz para o detetive procurar uma mulher ruiva e não dá muitas explicações do por que. Novamente, sua sorte conspira e o Perneta é encontrado acompanhado de uma moça ruiva.

Desesperado, Robin tenta algo ousado. Liga para o detetive e diz que está preso no esconderijo do Perneta, fornecendo-lhe o endereço. O detetive Wilson segue para o local e de fato encontra Perneta e sua gangue, mas é detido pelos criminosos. Logo em seguida Robin aparece e consegue enfrentá-los, laçando antes a perna de pau armada do líder. Perneta tenta pegar outra perna-arma, mas esta se desfaz em suas mãos. Surpresos, os criminosos são presos. Robin sai de cena e volta a ser Dick. O detetive está furioso com o garoto, que acabou investigando tudo sozinho e colocando-o em risco de vida. Pelo menos é o que ele pensa. É o suposto fim da carreira de detetive de Dick Grayson. Mais tarde, Robin explica para Batman que entrou sorrateiramente no esconderijo de Perneta e encheu sua perna-arma com ácido.

Nesse ínterim, o jovem aproveita para investigar os arquivos da escola e descobre que, devido a um borrão, a identificação de Mary na prova acabou por render-lhe uma nota errada. A garota, afinal, tem dom para ser repórter. E isso ela prova dando o primeiro furo de reportagem ao relatar como Robin prendeu, sozinho, a gangue do Perneta. Relato colhido graças às informações de seu amigo Dick.

SEM FILA

Levando o carro dos outros pra lavar...

THE WIZARD STRIKES BACK



GALERIA


Gene Colan : [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

ÂMAGO NEWS

Nem só de vilões temáticos vive a galeria de inimigos do Batman. Artigo para a série "Prata da Casa", do site Impulso HQ.



[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Artigo publicado originalmente no blog Âmago: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


_________________

Visite a Sala de Perigo, a loja oficial do blog Âmago: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ver perfil do usuário

darkmarcos

116 Re: O Diário de Dick Grayson em 17/05/15, 12:20 pm

avatar
Nível Médio 2
Nível Médio 2


O DIÁRIO DE DICK GRAYSON - Parte 91

- Batman 60 ( Agosto de 1950 )

* "The Auto Circus Mystery", história desenhada por Bob Kane e Lew Schwartz

Publicada no Brasil pela Ebal na revista Batman n° 1 ("O Mistério do Circo de Automóveis")


Gotham City está recebendo a visita de um circo de automóveis, com espetáculos que incluem acrobacias em carros. O que ninguém sabe, nem mesmo Dick Grayson e Bruce Wayne que assistem ao show, é que o circo está servindo de fachada para uma gangue que rouba carros esporte. Até mesmo o dono do circo, conhecido como Hooton Feliz, não faz ideia do que seus novos funcionários estão tramando. Na verdade, quando ele começa a desconfiar, a gangue sabota um dos carros que ele pilota, afastando-o de suas operações.

O Comissário Gordon, sabendo que Batman é um exímio motorista atrás do volante do Batmóvel, tem a ideia do herói se passar por Hooton Feliz e poder investigar mais de perto quem são os bandidos. Batman, com o apoio de Robin nos bastidores, usa um disfarce de Hooton Feliz e logo reconhece o bandido chamado Queixo de Ferro.

Quando a dupla dinâmica investiga o hotel onde Queixo de Ferro aparentemente está se hospedando, descobre que ele saiu apressadamente. O criminoso deixou uma luva cair durante sua fuga e os heróis verificam as partículas que estão contidas nelas, descobrindo que é tinta automotiva. Pela cor, Batman supõe que os carros do espetáculo, na verdade, são os carros que estão sendo roubados e cobertos com uma pintura diferente.

Ao voltarem para o circo, são surpreendidos pelos criminosos, que já estão cientes de sua investigação. São presos em uma garagem fechada para serem sufocados pela fumaça do escapamento de um carro, que fica ligado. Apesar de estarem presos, os heróis conseguem alcançar ferramentas que lhes permitem colocar uma mangueira no escapamento, enchendo o tanque com água e desligando o carro.

De volta ao circo, a dupla mostra que o Batmóvel está, também, disfarçado como um carro alegórico no caso de os bandidos fugirem. Segue-se uma perseguição onde Robin mostra que o Batmóvel é páreo para perseguir carros poderosos. Os bandidos entram em um túnel onde tentam emboscar a dupla, esperando-os acender os faróis. Mesmo se utilizarem o radar, pedaços de folhas de estanho irão atrapalhar sua localização. Mas os heróis já preveem que eles utilizarão essa técnica (na verdade copiada da Segunda Guerra, onde se utilizavam folhas de estanho para confundir os radares) e os surpreendem utilizando faróis de luz infravermelha e óculos especiais para vê-los no escuro. Com isso, conseguem prender os bandidos. É o fim da quadrilha de ladrões de automóveis.

Nesta história, Bob Kane desenhou as figuras de Batman e Robin apenas. Todo o resto foi desenhado por Lew Sayre Schwartz (um dos criadores do vilão Pistoleiro)


GALERIA


Robin Thompson

Artigo publicado originalmente no blog Âmago: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


_________________

Visite a Sala de Perigo, a loja oficial do blog Âmago: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ver perfil do usuário

darkmarcos

117 Re: O Diário de Dick Grayson em 18/05/15, 11:52 pm

avatar
Nível Médio 2
Nível Médio 2


O DIÁRIO DE DICK GRAYSON - Parte 92

- Batman 60 ( Agosto de 1950 )

* "The Counterfeit Batman", história desenhada por Bill Finger e Dick Sprang

Publicada no Brasil pela Ebal na revista Batman n° 7 e n° 49 ("O Falso Batman")


Se você acha que os autores de quadrinhos forçam a barra com desculpas espalhafatosas a fim de manter (ou não) a integridade mitológica de um personagem... é porque nunca presenciou das peripécias que Batman é capaz de fazer e inventar nessa verdadeira comédia de erros no qual ele se meteu.

Tudo começou quando Bruce Wayne compareceu a um baile a fantasia no qual os convidados escolhiam, no escuro, pacotes com fantasias diversas que nem mesmo eles sabiam qual seria. Acontece que Bruce foi sorteado com uma fantasia de... adivinhem... Batman! Como se a situação já não fosse suficientemente ridícula, seus amigos gostaram tanto da brincadeira que pediram para Bruce descer por uma corda como se fosse o verdadeiro Batman (sem saber que ele realmente era). Pra piorar, quando Bruce chega até a calçada, um cidadão decide tirar a máscara do “herói” e descobrem que Batman é Bruce Wayne... Isso até que os demais convidados cheguem a tempo de dizer que era tudo uma brincadeira.

Pois bem... Bruce até estava aliviado que o vexame havia acabado. Mas foi surpreendido em sua própria mansão por bandidos que gostaram de sua “atuação” de Batman, fato que saiu em todos os jornais. A ideia dos criminosos, já que ele foi um Batman tão convincente, era usá-lo para afugentar gangues rivais enquanto eles saqueavam locais que seriam assaltados por eles. Para convencer Bruce, os bandidos mantém Dick Grayson como refém.

Bruce poderia muito bem dar conta dos bandidos. Mas isso, claro, revelaria sua identidade secreta. Então ele faz algo muito mais complicado do que ser o Batman... Ele se torna um Batman atrapalhado. Ou melhor, o atrapalhado Bruce Wayne vestido de Batman. Ainda assim, consegue ludibriar os bandidos discretamente para atrapalhar seus assaltos.

Dois assaltos dando errado por acidentes (causados por Batman) acabam por levantar as suspeitas do líder da gangue, que já começa a desconfiar que Wayne realmente possa ser o Batman. Para provar sua teoria, o criminoso marca o rosto de Wayne sem que ele perceba e espera que Batman apareça na cena do próximo crime (em uma de suas “sabotagens”, Bruce age com Batman e, rapidamente, se embrenha em algum canto, ainda fantasiado, fingindo ser Bruce Wayne que viu o verdadeiro Batman por ali).

Dick Grayson também tem um problema parecido. Afinal, refém e vigiado pelos bandidos, não pode sair da mansão para avisar seu parceiro. Mas o menino prodígio sabe das picaretagens tanto quanto seu mentor. Dando um jeito de manipular o aquecedor da casa, faz com que o ambiente fique quente o bastante para que o bandido que o vigia saia da sala e ele consiga se desamarrar. Quando retorna, já com a roupa de Robin, nocauteia o bandido que o vigiava e simula carregar Dick Grayson que, na verdade, é um boneco que vestiu com suas roupas civis.

Robin chega a tempo de ajudar Batman a prender o bandido que o está usando. Porém, mesmo que Batman use o velho truque de ter deixado Bruce em um lugar seguro... não vê a marca que o bandido deixou em seu rosto, que agora aparece sob a máscara. Com isso, o bandido teria descoberto que Batman e Bruce Wayne eram a mesma pessoa. “Teria”, se... Batman não usasse a picaretagem suprema: Havia realmente uma marca no rosto de Batman e, quando este tira a máscara... é o rosto de Bruce Wayne. Porém... esse rosto também é uma máscara. Sim! O rosto de Bruce Wayne é uma máscara de borracha que Batman utiliza sobre sua própria máscara, segundo ele para tomar o lugar de Wayne, que lhe pediu socorro.

Não há bandidagem que resista a tanta picaretagem desse jeito. Resta ao bandido apenas ser preso.

GALERIA:

Ben Dunn: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

SEM FILA

Bem, amigos e amigas... O Sem Fila de hoje poderia muito bem ser um Sem Filme. Acontece que, até então, os vídeos da série Batman e Robin estavam liberados para se assistir via Youtube, de onde vinha o link para vocês assistirem. Porém, a Sony Pictures decidiu barrar esses vídeos em nosso país (que é o que diz a mensagem) baseados nos direitos autorais do mesmo.

Vale ressaltar que nunca desejamos infringir tais direitos, reproduzindo apenas vídeos que estavam disponíveis publicamente. Portanto, respeitando os donos dos direitos autorais da série, não exibiremos o restante da série. Perdoem pelo incômodo, na verdade causado por motivo de força maior.

Em tempo: o “Sem Fila” não acaba com isso. Quando séries não puderem ser mostradas na íntegra, nossos leitores, ainda assim, terão o gostinho de saber como ficou a adaptação dos heróis para outras mídias em vídeos que mostrem, pelo menos, trailers do mesmo.

ÂMAGO NEWS

Sim, você achou que tinha um link safado pra baixar a série do DAREDEVIL, que foi lançada exclusivamente para o NETFLIX.
Mas você não saiu perdendo… pois neste episódio do ARGCAST, Daniel HDR, Ana Recalde, Marcos Dark (também colaborador do Cozinha do Inferno), Andy Nakamura, Sandro Hojo (Gibissaurus) e Sasquatch Cavalera (Superaventuras Marvel) lembram das primeiras HQs que leram do DEMOLIDOR, o Batman de Vermelho (desculpe Fabiano), o Homem-Aranha que vale (desculpe Hilliam), o diabo santo (desculpe Ivomar)!
As melhores e piores histórias, e ainda dão pitacos na série, que você pensou em fazer download.

Ah, sim, você já deve ter ouvido um monte de lugar comentar do personagem e da série. Você pode fugir deste ArgCast e escutar, mas se fizer isso vai fazer uma merda tremenda, porque, sem “poserismos” ou modismos, você vai ouvir matutos relembrando de um dos personagens mais celebrados entre os leitores dos correntes heróis de comics. E terá de lambuja quase que uma lista de LEITURA RECOMENDADA.

ArgCast [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] – Daredevil : [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Artigo publicado originalmente no blog Âmago: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


_________________

Visite a Sala de Perigo, a loja oficial do blog Âmago: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ver perfil do usuário

darkmarcos

118 Re: O Diário de Dick Grayson em 24/05/15, 04:17 pm

avatar
Nível Médio 2
Nível Médio 2


O DIÁRIO DE DICK GRAYSON - Parte 93

- Batman 61 ( Outubro de 1950 )

* "The Mystery of the Winged People", história escrita por Bill Finger, desenhada por Dick Sprang e artefinalizada por Charles Paris

Publicada no Brasil pela Ebal na revista Batman n° 9 e Batman Bi n° 1 ("O Mistério dos Inimigos Alados")


O maior inimigo que Dick Grayson enfrenta aqui não é exatamente o Pinguim, o vilão que é responsável pelos problemas em toda a trama. O maior inimigo de Dick Grayson é... sua própria fama! Ossos do ofício para quem quer se expor tanto e, ao mesmo tempo, ser tão visado pelos criminosos.

O Pinguim foge da cadeia inspirado em figuras aladas da mitologia e do folclore. Para sua fuga, especificamente, o vilão ficou durante um bom tempo na oficina criando asas artificiais... tais como as de Ícaro. Até então, a prisão era instransponível por se localizar no alto de um rochedo, mas isso não é problema para a invenção do Pinguim. A fuga dá tão certo que o criminoso decide apostar nessa temática, alegando que ele mesmo tem o nome de uma ave (mas... desculpe, Pinguim... pois pinguins não voam! São aves, sim, mas no lugar de asas eles têm nadadeiras). Para tornar a coisa mais emocionante, através do Comissário Gordon o criminoso manda pistas para Batman e Robin: estátuas de Ícaro, uma fada madrinha, um cupido e Mercúrio. A última peça destoa das demais por ser apenas a figura de um homem com um ponto de interrogação no lugar do rosto.

O primeiro crime dessa nova fase acontece em um programa popular onde uma atriz finge ser uma fada madrinha e escolhe uma moça da plateia para ser a Cinderela. A escolhida ganha um verdadeiro dia de princesa, com direito a muitas joias. Joias essas que o Pinguim rouba quando faz a falsa fada... voar! Na verdade, ele utiliza um poderoso imã em um cartaz para atraí-la através de suas falsas asas de metal. O vilão só não levanta voo com as joias pois a dupla dinâmica o persegue quando ele rouba também a carruagem de abóbora da atriz. Para fugir, o Pinguim salta sobre o cavalo e deixa os heróis para trás, impedindo que a desgovernada carruagem atinja alguém.

O segundo crime acontece em um museu. Batman e Robin recebem a ajuda de uma denúncia dizendo que o Pinguim foi visto comprando tinta cor de bronze. De fato, o descarado vilão aparece de uma forma um tanto quanto peculiar... quando é feita uma entrega ao museu de uma estátua de cúpido... com suas feições. É claro que aquele é o Pinguim descaradamente disfarçado! Ou será que não? Quando os afoitos heróis saltam sobre o falso cupido para agarrá-lo... ele realmente é uma estátua de bronze! O impacto acaba desacordando Batman e Robin, permitindo que o Pinguim assalte o museu. O crime pode não compensar... mas, para o Pinguim, já valeu a vergonha que fez a dupla dinâmica passar.

O terceiro crime acontece em um circo, onde um homem com asas nos tornozelos (assim como Mercúrio) se apresenta para tomar o lugar da atração principal, que era um homem com asas nas costas. O dono do circo admite que seu homem alado é apenas um truque, mas fica impressionado quando o homem com asas nos tornozelos começa a voar de verdade... em direção à bilheteria... onde a assalta. Tarde demais ele percebe que o homem não voa coisa nenhuma. Está apenas sendo puxado por um helicóptero pilotado pelo Pinguim.

Antes de resolver o último caso, com a pista da estatueta com cara de interrogação, Robin se dirige para um compromisso muito importante: sua participação no Clube dos Fãs do Robin. E, em um lugar tão óbvio para ser encontrado, o menino prodígio acaba sendo sequestrado pelos capangas do Pinguim.

Quando Batman, convocado pelo vilão, chega ao cativeiro, Robin está amarrado e do outro lado do quarto, uma parede balança violentamente, mostrando que o que está atrás ruge ferozmente. Um leão! E o Pinguim ameaça soltá-lo caso Batman não revele sua verdadeira identidade. Sem saída, o herói tira sua máscara e mostra ser... Bruce Wayne!

O Pinguim fica intrigado quando o herói revela que sabia que era aquela a verdadeira pista e que sua relação com figuras aladas é que os morcegos também têm asas. Desconfiado por seu inimigo já ter ido preparado para revelar a identidade, o Pinguim passa os dedos no rosto de Bruce... descobrindo que é maquiagem. O vilão acredita, então, que, preparado, Batman se disfarçou de Bruce Wayne para despistá-lo (poxa, Pinguim... você estava indo tão bem até aqui...).

Batman surpreende o vilão ao persegui-lo e não se importa se o leão irá devorar Robin. Após capturá-lo, Batman abre a parede de onde vem o rugido... e descobre que não é um leão. Não tinha lógica o Pinguim usar um mamífero já que sua temática até então eram figuras aladas ou aves. Por isso ele escondeu um avestruz, ave que, quando faminta, emite um som parecido com um rugido.

GALERIA

David Enciso

ÂMAGO NEWS

Neste episódio ComicPod, Felipe Morcelli, Luis Alberto, ‘Pab’ Sarmento, Marcelo Grisa e Marcos Dark conversam sobre os Vingadores, aproveitando a estreia do segundo filme da equipe, tendo como base a história A Vingança de Ultron, de Kurt Busiek e George Pérez!

VINGADORES: A VINGANÇA DE ULTRON : [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Artigo publicado originalmente no blog Âmago: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


_________________

Visite a Sala de Perigo, a loja oficial do blog Âmago: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ver perfil do usuário

darkmarcos

119 Re: O Diário de Dick Grayson em 31/05/15, 06:50 pm

avatar
Nível Médio 2
Nível Médio 2



O DIÁRIO DE DICK GRAYSON - Parte 94

- Batman 61 ( Outubro de 1950 )

* "The Brith of Batplane II", história escrita por David Vern Reed, desenhada por Dick Sprang e artefinalizada por Charles Paris

Publicada no Brasil pela Ebal na revista Superman n° 50 ("O Batplano n° 2")


Uma verdadeira guerra de gerações em pleno ar! Tanto humana, quando mecânica. É o batplano, que já se mostrava ultrapassado (e, cá entre nós, já era meio esquisito mesmo...), sendo substituído por uma nova e poderosa máquina.

Após um teste para as forças militares, o batplano simplesmente... trava em pleno ar. A situação é tão grave que a dupla dinâmica é obrigada a saltar e deixar que sua nave caísse no mar. Porém, por outro defeito, o batplano simplesmente desvia de sua rota e quase mata criminosos do coração por cair próximo a seu esconderijo (mata do coração duplamente, tanto pela queda quanto por ser do Batman). Os criminosos, agora de posse do batplano avariado, pretendem usá-lo para seu uso e, tendo tão moderna máquina em mãos, produzir mais para cometer crimes em pleno ar. Mas ter uma máquina potente não basta. Para pilotar a nova “arma” os bandidos sequestram um exímio piloto, que cai fácil na lábia de seus captores depois de ser considerado ultrapassado para a moderna aeronáutica.

Apesar dos criminosos planejarem utilizar tão moderna máquina que está em suas mãos, os heróis aproveitam que já perderam mesmo seu transporte e criam um novo batplano, cheio de novidades tecnológicas que poderão ser úteis em aventuras daqui pra frente. Além de mais potência, o novo batplano tem a vantagem de se tornar até mesmo um submarino.

Quando os criminosos decidem atacar com uma frota de batplanos, o novo jato de Batman e Robin tem seu batismo de fogo para capturá-los. Trava-se uma intensa batalha aérea e, em dado momento, os heróis parecem ter sido abatidos. Mas era apenas um truque, já que os heróis mergulham, literalmente, no oceano, utilizando a nova capacidade submarina do batplano, ressurgindo em seguida e surpreendendo boa parte dos bandidos.

O batplano original, que liderava todos os outros e é pilotado pelo homem que foi sequestrado, ainda é uma ameaça nos céus. O talentoso piloto consegue se desvencilhar do bandido, antes que os heróis o abatam em pleno ar, e joga o batplano velho em um caminhão com uma carga de papel. O novo batplano provou ser superior e apto a substituir a antiga versão. Da mesma forma, o velho piloto, após sua aventura, julga que ele está ultrapassado e prefere deixar o prazer de voar para os pássaros... e para os morcegos.

O novo batplano tinha um visual que ia além da função de seu predecessor, de apenas transportar estilosamente a dupla dinâmica. Na verdade, essa nova versão era mais ameaçadora, pois trazia um visual caça da força aérea americana. Tudo isso com uma propulsão a jato que não era vista anteriormente.

O escritor David Vernon Reed, além de ser o responsável por dar uma “atualizada” no batplano, também foi o co-criador do vilão Pistoleiro.


GALERIA

Whilce Portacio : [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

ÂMAGO NEWS


Nem só de minhas participações em podcasts vive o Âmago News (Campanha Contra o Narcisismo Dárkiquo ). Dicas bacanas também figuram por aqui. E hoje, aproveito para indicar o divertidíssimo Enxutocast, o podcast do Baile dos Enxutos.

E no programa de n° 150, Leonardo, Sorg, Eunuco, Majim, Dadá e King se reúnem para discutir não um, não dois, mas três assuntos diferentes. Então os ouça destilando sabedoria mental, confabulando se ainda existem blockbusters com conteúdo, como alguém pode ter sua masculinidade ameaçada por Mad Max e se o Coringa de Esquadrão Suicida está ou não uma merda.

Enxutocast [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]: Mad Max, machos ofendidos e o Coringa : [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Artigo publicado originalmente no blog Âmago: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


_________________

Visite a Sala de Perigo, a loja oficial do blog Âmago: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ver perfil do usuário

darkmarcos

120 Re: O Diário de Dick Grayson em 13/06/15, 09:47 pm

avatar
Nível Médio 2
Nível Médio 2

O DIÁRIO DE DICK GRAYSON - Parte 95

- Batman 61 ( Outubro de 1950 )

* "The Wheelchair Crimefighter", história escrita por Bill Finger, desenhada por Lew Sayre Schwartz e artefinalizada por Charles Paris

Publicada no Brasil pela Ebal na revista Superman n° 19 ("Um Detetive Em Cadeira de Rodas")

Uma desastrosa perseguição a criminosos leva Batman a levar um tombo feito, a ponto de não conseguir mexer suas pernas. Para sua surpresa, assim que é socorrido, um médico chamado Doutor Chubb diz que ele quebrou ambas as pernas e que terá que ficar três meses “de molho”. É uma situação absurda! Afinal, Bruce diz a Dick que anos atrás um bandido atingiu um disparo na tíbia e ele ficou inativo por um mês. Imaginem três meses!

Como se o problema já não fosse suficiente, Bruce ainda tem que lidar com as desconfianças da jornalista Vicki Vale em sua constante cruzada pra provar que o milionário é o Batman. Como soube que o herói se acidentou, Vicki desafia Bruce a dançar com ela em um baile. Afinal, já que Batman está com as pernas quebradas, Bruce também não poderá se movimentar.

Mesmo com essa pendenga para resolver, o herói, em uma cadeira de rodas motorizada (morra de inveja, Charles Xavier!) atende ao chamado do Comissário Gordon, que tenta desbaratar criminosos que estão fazendo operações plásticas para fugirem da vigilância policial. Ainda cadeirante, Batman utiliza todos os recursos de sua cadeira adaptada para perseguir os ladrões... apesar de não ter a agilidade suficiente para impedir que fujam.

Ao voltar para a Mansão, um impulsivo Robin decide fazer o impensável... socando a marreta no gesso das pernas de Batman. Como se loucura pouco fosse bobagem, após o ato tresloucado, o menino prodígio exige que Batman... ande! O herói não vê o menor sentido naquilo. Afinal, nos primeiros passos, logo cai de joelhos. Mas Robin insiste... e Batman volta a andar!

O milagre de Robin tem explicação. As pernas de Batman estavam fracas apenas pelo longo tempo que ficou imobilizado. O menino prodígio percebeu algo estranho na situação depois que Bruce lhe contou sobre o acidente na tíbia. Acontece que o exame com raios-X do doutor Chubb não apresentava nenhuma marca daquilo. Logo, julgou que fosse falsificado. Ainda desconfiado, descobriu que Chubb, na verdade, encobria operações plásticas em criminosos. Pior que isso: como guardava o registro do rosto original de cada um deles, estava usando a informação como chantagem.

O Doutor Chubb cai em uma emboscada armada por Batman e o Comissário Gordon. Bruce, para a surpresa de Vicki, consegue comparecer ao baile. Ainda assim, sabendo pelos jornais que Batman se recuperou, a garota fica com a desconfiança da dupla identidade de seu partner.

Robin aprendendo a manter a cabeça fria na situação e ajudando o incrédulo Homem-Morcego. Por mais cético que Batman fosse, seu ceticismo ainda carecia de um melhor embasamento para analisar a situação, ao contrário do menino-prodígio que teve tempo para desvendar o mistério.



GALERIA



Shelton Bryant : [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

ÂMAGO NEWS



O nascimento de uma boa (e absurda) ideia na fértil Era de Prata.

O GORILA DOURADO : [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Artigo publicado originalmente no blog Âmago: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


_________________

Visite a Sala de Perigo, a loja oficial do blog Âmago: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ver perfil do usuário

banzé

121 Re: O Diário de Dick Grayson em 15/06/15, 02:11 pm

avatar

Gostaria de saber se é fácil achar essas revistas do Batman, publicadas pela EBAL nos anos 50, devem ser muito caras não é amigo Dark ??? Shocked Sem entender 2

Ver perfil do usuário http://fumetteiros.omeuforum.net

darkmarcos

122 Re: O Diário de Dick Grayson em 17/06/15, 01:26 am

avatar
Nível Médio 2
Nível Médio 2
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] escreveu:Gostaria de saber se é fácil achar essas revistas do Batman, publicadas pela EBAL nos anos 50, devem ser muito caras não é amigo Dark ??? Shocked Sem entender 2

É menos impossível do que parece.
Fique de olho em sebos virtuais e sites de leilão virtual que, com sorte, você encontra alguma por um preço nem tão salgado.
Aproveite e conheça a Sala de Perigo: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Quem sabe uma dessa uma hora não apareça por lá? Esse é meu novo espaço que comércio voltado aos quadrinhos, bem como todo suporte aos colecionadores. Breve, apresentarei a loja virtual própria. Divulgue!

Ver perfil do usuário

darkmarcos

123 Re: O Diário de Dick Grayson em 21/06/15, 01:25 am

avatar
Nível Médio 2
Nível Médio 2

O DIÁRIO DE DICK GRAYSON - Parte 96

- Batman 62 ( Dezembro de 1950 )

* "The Secret Life of the Catwoman", história escrita por Bill Finger, desenhada por Bob Kane e Lew Sayre Schwartz e artefinalizada por Charles Paris

Publicada no Brasil pela Ebal na revista Superman n° 47 ("A Vida Secreta da Mulher-Gato") e pela editora Panini no sexto volume da Coleção DC 70 Anos ("A Vida Secreta da Mulher-Gato")


Um chefão criminoso mascarado, conhecido apenas como Mister X, decide libertar a Mulher-Gato da prisão devido a suas notórias habilidade em roubar. A dupla dinâmica acaba descobrindo o paradeiro da vilã e, em batalha, um paredão acaba sendo derrubado sobre Batman. Antes que o paredão o atinja, a Mulher-Gato, que não desejava a morte do herói, consegue salvá-lo com um salto... mas com um custo: um dos tijolos do paredão acerta em cheio sua cabeça e ela cai desacordada. Quando desperta, nos braços de Batman, esquece totalmente todos os anos de vida criminosa e lembra-se apenas que, antes, era uma comissária de bordo até que o avião onde trabalhava sofreu um acidente.

A amnésica Mulher-Gato, apesar de não trazer nenhum traço de sua vilania, acaba servindo de isca para que a polícia e a dupla dinâmica descubram o paradeiro de Mister X. A ex-vilã finge ainda estar trabalhando para os bandidos e dá as dicas para os heróis chegarem cada vez mais perto. Em uma dessas batidas, acabam detendo um bandido menor conhecido como Zico Rato, que jura vingança contra a Mulher-Gato por ter traído a comunidade criminosa.

Em outra oportunidade de prender os bandidos, Batman e Robin acabam sob a mira de suas armas e a Mulher-Gato os prende com a desculpa de que os prefere vivos. A farsa parece não durar muito e o próprio Mister X diz que sabe o segredo de sua ex-aliada. Com isso, Batman, Robin e a comissária Selina (ainda vestida de Mulher-Gato) correm sério perigo.

Batman e Robin acabam escapando de dentro de um moinho, onde haviam sido colocados para irem pelos ares na detonação de uma bomba, e ainda conseguem salvar a Mulher-Gato. Batman descobre que o corpulento mascarado chamado Mister X na verdade é... Zico Rato. Desconfiou disso quando o vilão sentou-se em uma velha cadeira e ela não rangeu com seu peso, denunciando que ele pesava bem menos do que aparentava... ou seu robusto corpo era um disfarce, como realmente se revelou, escondendo o Rato dentro de uma grande armação por baixo da roupa.

Pode-se dizer que Robin aqui viu sua parceria levemente ameaçada. A Mulher-Gato já era uma vilã atípica, pela qual Batman não demonstrava rivalidade. Muito pelo contrário, dava a entender que se encantava com a vilã. Ela, por sua vez, nunca escondeu que correspondia a esse encanto. Acontece que essa fase amnésica foi uma forma de redimir a personagem e torná-la uma espécie de aliada dos “mocinhos” nas histórias seguintes. E isso não se limitou apenas a essa história. Ao final dessa aventura, deixa-se claro que ela ainda está amnésica e feliz por poder ajudar os heróis. Ou seja, muitas histórias depois a Mulher-Gato seria vista ao lado da dupla dinâmica. Quase uma parceira de Batman, muito mais “ligada” ao herói do que o “adotado” Robin poderia ser.

Ao contrário do que os mais maldosos possam imaginar, não há nada implícito a esse respeito, como ciúmes por parte de Robin. Apenas ficou bizarra a reviravolta que a personagem tomou. De Robin, saiu apenas a observação sobre a forma estranha como as mulheres, por vezes, agem.



GALERIA



Michael Cho : [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

ÂMAGO NEWS



A edição 83 do podcast Inominata 616 é justamente para quem tem estômago! Afinal, quando juntaram a dupla Warren Ellis e Mike Deodato para tomar conta de um bando de supervilões psicopatas recém-ingressos no programa Thunderbolts, não podia sair outra coisa. Provavelmente, a fase moderna mais aclamada do grupo se resume a essas doze edições que compõe os dois arcos responsáveis por tanto estabelecer Norman Osborn como um vilão do patamar do Doutor Destino assim como serviu de prelúdio do que foi o Reinado Sombrio. E não é só: 25 minutinhos de entrevista com Deodato falando sobre seus futuros lançamentos de julho nos EUA e por aqui no Brasil

Esse programa praticamente é dividido em duas partes. Após a apresentação, o Coveiro e a Cammy entrevistam o Mestre Deodato que fala sobre seus Guardians of Knowhere, a estreia de Pecado Original no Brasil e seus dois lançamentos pessoais - Quadros e 3000 anos depois. Logo em seguida, Coveiro volta juntamente com Paulo Artur, e Marcos Dark , do blog Âmago, e um novo convidado, Carlos Gritti, pra discutir essa fase dos Thunderbolts que certamente ficou pra história.

Muitos mistérios beiram em torno dos participantes e até mesmo do artista convidado - Seria Mike Deodato se autorretratando na capa de seu novo projeto autoral? Stan Lee faria campanha contra o Capitão América? Os guardas da Montanha Thunderbolts mereciam uma premiação de melhores coadjuvantes? Qual o real motivo do Paulo Artur ter birra com Ellis? Essas e outras questões você terá a resposta no Inominata 616! Ouça e divirta-se!

OS THUNDERBOLTS DE ELLIS E DEODATO : [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Artigo publicado originalmente no blog Âmago: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Ver perfil do usuário

darkmarcos

124 Re: O Diário de Dick Grayson em 11/07/15, 10:05 pm

avatar
Nível Médio 2
Nível Médio 2



O DIÁRIO DE DICK GRAYSON - Parte 97

- Detective Comics 168 ( Fevereiro de 1951 )

* "The Man Behind the Red Hood", história escrita por Bill Finger, desenhada por Lew Sayre Schwartz (que assinou como Bob Kane) e Win Mortimer (responsável por desenhar o Robin nessa história), artefinalizada por George Roussos

Publicada no Brasil pela Ebal na edição especial As Orignes Secretas: Supervilões - Almanaque de Quadrinhos 1977 ("O Homem de Capuz Vermelho"); editora Opera Graphic na edição especial Batman Vs Coringa - Através das Décadas ("O Homem por trás do elmo vermelho"); e pela editora Panini na minissérie Batman 70 Anos n° 2 e na revista DC + Aventura n° 1 (ambas com o título "O Homem do Capuz Vermelho")


O Reitor Chalmers convida Batman e Robin para serem professores voluntários no novo curso de criminologia da Universidade de Gotham.

Em uma das aulas, onde o herói apresenta casos hipotéticos para testar a capacidade dedutiva dos alunos, ele também lhes conta sobre um caso que nunca solucionou satisfatoriamente: o Caso do Capuz Vermelho. Tratava-se de um ladrão que usava um capuz vermelho e brilhante na cabeça, com o detalhe desse capuz ser inteiriço, não havendo sequer buracos para os olhos. Quando Batman o encontrou pela primeira vez, o criminoso explicou que outros poderiam ser identificados por aberturas nos olhos ou mesmo para as orelhas. Seu capuz permitia que sua identidade continuasse secreta. Como ele enxergava através daquele capuz é um mistério.

Certa noite, quando o Capuz Vermelho roubava a Companhia de Cartas de Baralho de Gotham, ele se atirou em um tanque de resíduos químicos da fábrica. Apesar da intenção do criminoso em escapar pela tubulação que o levaria até o rio, a própria mistura química, mortal, acabaria com ele. De fato, não o encontraram no rio... nem mesmo encontraram seu corpo. Desde então, o destino do Capuz Vermelho se tornou um mistério. E esse era um novo caso para que os alunos de criminologia pudessem trabalhar.

Na noite seguinte, enquanto os alunos tentam desvendar como o criminoso enxergava através de um capuz inteiriço, Robin avista uma misteriosa figura no campus... ninguém menos do que o próprio Capuz Vermelho! Robin, ao atacá-lo, acaba quebrando um dedo da mão no surpreendentemente maciço capuz. Batman persegue o criminoso, mas ele consegue escapar, deixando cair um chapéu, que devia usar quando não utilizasse seu disfarce.

Na Batcaverna, Batman estuda um cabelo extraído do interior do chapéu. Ao pedir para Dick Grayson para aproximar mais a luz, o jovem usa sua mão machucada e a derruba sobre a prova, que fica estorricada. Apesar do constrangimento de Dick, Bruce se lembra da fórmula que o jovem anda trabalhando, que restaura a cor original de fibras queimadas. Ainda assim, Dick fica mais constrangido quando vê a prova queimada ficar... verde! Sua fórmula deve ter algum problema.

No dia seguinte, além dos alunos finalmente descobrirem o segredo da visão através do capuz (que se valia de um espelho duplo vermelho, dando a ilusão de que era inteiriço), auxiliam Batman a capturar o criminoso e descobrir que ele é... o jardineiro da escola. Apesar de Batman o reconhecer como sendo Earl “Camponês” Benson, um ex-presidiário, várias provas demonstram que ele não pode ser o Capuz Vermelho. Além disso, o caso original aconteceu há dez anos e Benson tem 22. Batman o liberta acreditando que ele apenas se passava pelo criminoso, aproveitando a histeria que o caso reaberto causou na Universidade.

Dias depois, Batman arma uma cilada para o verdadeiro Capuz Vermelho, que realmente aparece para executar um roubo. Robin o auxilia e liga luzes vermelhas que se fundem com a visão avermelhada do Capuz, deixando-o momentaneamente cego. Não é surpresa para ninguém quando o Capuz é retirado e ele revela ser... Benson novamente. Ainda assim, Batman não está convencido e o faz confessar que escondeu o verdadeiro Capuz Vermelho no barraco de ferramentas, roubando seu capuz para cometer seus próprios crimes.

O verdadeiro Capuz Vermelho estava no campus, afinal. Foi ele quem tentou roubar os escritórios do colégio anteriormente. Quando tentou fugir por um duto de gás, foi surpreendido por Benson, que estava do outro lado e o amarrou, aguardando uma recompensa. Foi quando teve a ideia de ser o novo Capuz Vermelho.

Diante de alunos perplexos por sua incrível capacidade de dedução, Batman aproveita para informar Robin de que ele não se enganou na fórmula química... e que já descobriu a verdadeira identidade do Capuz Vermelho original. Eles seguem para o barracão, onde o criminoso de uma década atrás está amarrado, e quando lhes tiram a mordaça, o grupo fica estarrecido... ali, sob o clarão da luz, está o sinistro e irônico rosto do... Coringa! O vilão explica porque era o Capuz Vermelho:

“Anos atrás, a cor da minha pele era normal, como a de vocês. Eu trabalhava num laboratório, até que decidi roubar e depois... sumir. Por isso tornei-me o Capuz Vermelho. Finalmente, consegui o que queria... roubando a Companhia de Baralhos Monarch. O tubo de oxigênio do meu capuz me fez escapar a nado pelo tanque de resíduos. Mas em casa olhei-me ao espelho com horror crescente... Aqueles vapores químicos tornaram meus cabelos verdes e o rosto branco de cal. Parecia um palhaço sinistro. Então, imaginei que meu novo rosto poderia horrorizar as pessoas. E como a companhia de baralhos mudou minha cara, dei a mim mesmo o nome de... Coringa.”

E, graças ao incidente que Robin causou, revelando um fio de cabelo verde, Batman pôde desvendar um mistério que durou uma década.



GALERIA



Bob Kane

ÂMAGO NEWS

Eles completaram 50 anos em 2011. (e quem se lembrou?)
Eles tiveram um filme produzido por Roger Corman (e não -?- queremos lembrar).
Eles foram criados por Jack Kirby e Stan Lee.
Eles vão ganhar um filme novo que ninguém está sabendo muito sobre.
E eles foram esquecidos pela própria editora (pelo menos até os direitos cinematográficos voltarem para a Marvel)…

Daniel HDR, Rogério DeSouza, Ivo Kleber, Andy Nakamura, Marcos Dark e Társis Salvatore (Mundo dos Super-Heróis e Mundo Nerd) relembram o Quarteto Fantástico! As melhores e piores histórias, a treta entre Marvel Studios e Fox, Quem poderia ser o Quarteto fantástico nos dias de hoje, e, a pergunta que não quer calar: o que Rogério DeSouza fez com os coiotes em volta de sua casa nas montanhas?



ARGCAST 164 : O QUARTETO FANTÁSTICO : [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Artigo publicado originalmente no blog Âmago: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


_________________

Visite a Sala de Perigo, a loja oficial do blog Âmago: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ver perfil do usuário

banzé

125 Re: O Diário de Dick Grayson em 12/07/15, 09:02 am

avatar

E a origem do Capuz Vermelho foi revisitada décadas mais tarde com o graphic novel "A Piada Mortal" do Moore, que vai virar desenho animado daqui a pouco. Smile

Ver perfil do usuário http://fumetteiros.omeuforum.net

Conteúdo patrocinado


Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 5 de 7]

Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum